Envio de denuncia

Preencha o formulário abaixo para enviar sua denuncia.



...

Home Notícias ENTREVISTA: OS PERIGOS DAS FAKE NEWS ...

ENTREVISTA: OS PERIGOS DAS FAKE NEWS E A PREOCUPAÇÃO DO SINDICATO COM A VERDADE E A INFORMAÇÃO IMPARCIAL

19 de junho/2020 ——O  diretor de Comunicação do Sinmed-MG, Alex Ribas, faz um alerta aos médicos e à população sobre os  perigos das fake news  e fala sobre as diversas ações do sindicato para se comunicar com os diferentes públicos, destacando que o sindicato sempre teve e continua tendo o compromisso de levar ao médico e à sociedade a informação mais precisa e imparcial

Como o sr vê a disseminação de fake news na área da saúde e entre a  própria categoria médica, especialmente em tempos de pandemia?  

Infelizmente, tem sido cada vez mais comum a propagação das fake news, notícias falsas publicadas por pessoas e veículos de comunicação como se fossem informações reais, na maioria das vezes com o objetivo deliberado de legitimar um ponto de vista ou prejudicar uma pessoa ou grupo.

O grande problema envolvendo essas notícias é o enorme poder de viralização nas mídias sociais, espalhando-se rapidamente, uma vez que a grande maioria das pessoas não busca as fontes adequadas das informações para verificar sua veracidade.

O poder de persuasão das fake news é maior em populações com menor escolaridade, mas também pode alcançar pessoas com mais escolaridade, já que o conteúdo está muitas vezes ligado ao viés político.

Sob o ponto de vista da saúde, a disseminação dessas notícias falsas ou boatos pode trazer problemas para políticas públicas, como aconteceu em tempos recentes, no caso das campanhas de vacinação, quando acabaram sendo responsáveis por redução de coberturas vacinais em várias partes do país.

Além disso, também provocaram reflexos nas condutas de alcance populacional para controle de doenças, como no caso mais recente da pandemia do coronavirus.

Orientações como o distanciamento social e uso de máscaras podem ter encontrado problemas de adesão em função de várias informações falsas e desencontradas, disseminadas pelas mídias sociais; muitas delas com forte viés político.

Qual tem sido a política do Sinmed-MG em relação à comunicação com seus diversos públicos, especialmente os médicos, nesses tempos de pandemia?

O Sinmed-MG sempre teve e continua tendo o compromisso de levar ao médico e à sociedade a informação mais precisa e imparcial. Temos buscado a atualização rápida de nosso site e o incremento permanente dos demais canais de informação, como Instagram, Facebook, Twitter e YouTube.

Desde o início da pandemia, fizemos o lançamento de um boletim específico para tratar do tema, com as informações mais relevantes do momento, com assuntos de grande importância para o público médico como orientações do jurídico em questões como insalubridade, falta de equipamentos de proteção individual (EPIs), entre outros.

Dentro desse contexto, ainda foram feitas várias entrevistas com médicos e advogados especialistas parceiros e o lançamento de uma cartilha de orientação sobre os EPIs, no intuito de sempre deixar o médico bem orientado diante de um momento repleto de incertezas e insegurança. 

Outra ação importante foi a abertura de um canal de denúncias via WhatsApp e e-mail, para que o médico possa buscar auxílio da entidade nos momentos em que se sentir vulnerável, prejudicado ou inseguro dentro de seu contexto de trabalho.

O Sinmed-MG também tem promovido vários eventos on-line, incluindo cursos e seminários; alguns deles em parceria com outras entidades médicas, marcando definitivamente seu espaço na atualização dos médicos e na formação dos acadêmicos de medicina.

Nossa seriedade e imparcialidade no trato com a informação e o compromisso com a verdade têm contribuído para que vários canais de jornalismo busquem o sindicato como fonte de informação para matérias veiculadas na mídia sobre saúde e trabalho médico, o que tem gerado várias entrevistas com nossos diretores. 

Lembramos que, respeitando as orientações de distanciamento social no momento da pandemia, não estamos atendendo de forma presencial, mas continuamos à disposição do médico via telefone e e-mail. Acreditamos que todos esses esforços nos colocam cada vez mais próximos do médico, mais atentos e atuantes diante de suas necessidades.