Envio de denuncia

Preencha o formulário abaixo para enviar sua denuncia.



    ...

    Home Notícias BALANÇO CONQUISTAS CAMPANHAS 2019

    BALANÇO CONQUISTAS CAMPANHAS 2019

    Em 2019, o Sinmed-MG obteve várias conquistas, só possíveis com a união dos médicos, só possíveis com a união dos médicos e confiança na entidade, que representa a categoria nas reuniões com gestores e frentes de atuação.

    Conheça algumas delas:

    PBH reajuste no vencimento básico e no vale-refeição de 7,20%, dividido em duas vezes, sendo 3,78% a partir de 1º de janeiro e 3,30% em dezembro/2020.  A proposta foi estendida a todos os contratos administrativos. Formalização do cargo de 40 horas, para quem faz hoje extensão de jornada ou jornada complementa, com reflexos no pagamento de quinquênios, férias-prêmio, terço de férias, o que não acorria antes. Implementação do novo Plano de Carreira.

     HOSPITAL CÉLIO DE CASTRO – fechamento do Acordo Coletivo 2019/2020 dos médicos do HCC com reajuste de 4%, para incorporação imediata no salário, com retroatividade a partir de agosto de 2018. O acordo contempla ainda itens relacionados à jornada de trabalho, banco de horas, horário de descanso, jornada de trabalho em sobreaviso, isonomia salarial (salário substituto), comprovante de pagamento, adiantamento 13º salário, adicional hora extra, adicional noturno, cópia do contrato de trabalho, comunicação de dispensa, estabilidade da gestante, licença paternidade, entre outros..

    CONTAGEM – publicação da Lei 292/2019 que cria a  Vantagem Nominal Identificada (VNI) para os médicos do município. A Vantagem Nominal Identificada (VNI) é destinada aos servidores ocupantes dos cargos de provimento efetivo de Médico, Profissional de Nível superior I (Médico) e Médico da família, pertencentes ao Quadro Setorial da Saúde.  Ela será composta de 100% do Adicional de Residência Médica devido aos servidores ocupantes de cargos de provimento efetivo. Já o valor atribuído à VNI incidirá para fins do cálculo de adicional de tempo de serviço (quinquênio), férias-prêmio, férias regulamentares, abono natalino e aposentadoria. O benefício será creditado em fevereiro, referindo-se ao contracheque de janeiro/2020.

    A diretoria do Sinmed-MG acredita que ainda há muitas batalhas para melhorar a situação dos médicos em Contagem mas destaca que essa é um primeiro passo que

    ACORDOS COLETIVOS – o sindicato atuou de forma positiva no fechamento dos acordos coletivos do Hospital Risoleta Neves, Hospital Célio de Castro, Hospital Sofia Feldman, Sindhomg (Central dos Hospitais de Minas Gerais). Foram vários ganhos para a categoria:  reajuste, manutenção de benefícios, preservação de direitos dos médicos. No momento está acompanhando o acordo coletivo dos médicos da UPA Centro-Sul com a Fundep, em Belo Horizonte.

    BETIM – O sindicato elaborou a minuta para a criação do cargo de 24 horas na urgência, para que os médicos recebam todos os benefícios em cima dessa jornada, e não sobre a jornada de 20 horas. Criação de protocolo para enfrentamento da violência nas unidades de saúde do município, por sugestão do Sinmed-MG, suporte para melhoria das condições de trabalho.

    INTERIOR: no interior do Estado, o sindicato atuou em várias frentes

    • Suporte aos médicos Pessoa Jurídica nos municípios de Divinópolis, João Monlevade, Pedro Leopoldo, Ribeirão das Neves, Tiradentes, Vespasiano.
    • Suporte aos médicos nas reivindicações de melhoria de condições de trabalho nos municípios de Itaúna, Cascalho Rico, Ribeirão das Neves, Sabará, Santa Luzia e Ouro Preto.
    • Suporte aos médicos em questões relacionadas a atrasos de pagamento  nos municípios de Lagoa da Prata, Ribeirão das Neves, Sete Lagoas.
    • FHEMIG, HEMOMINAS E SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE

    Em 2019, o sindicato participou ativamente nas lutas dos servidores do Estado, com várias reuniões com os gestores e assembleias realizadas. A atuação sindical tem sido importante no posicionamento da categoria, incluindo maior transparência na gestão por Organizações Sociais

    Principais problemas: salários atrasados e defasagem salarial de 31,75% (desde 2014); incertezas com relação ao futuro das unidades com possibilidade de gestão por Organizações Sociais; insatisfação com as atuais condições de trabalho, principalmente no que concerne à falta de segurança e inadequada estrutura física; falta de implantação do novo Plano de Carreira, negociado nos últimos anos; equipes incompletas, principalmente com a não realização de concurso público para reposição de aposentadorias e exonerações.