Envio de denuncia

Preencha o formulário abaixo para enviar sua denuncia.



...

Home Notícias COMO A PANDEMIA AFETA A SAÚDE MENTAL?...

COMO A PANDEMIA AFETA A SAÚDE MENTAL? ESSA E OUTRAS QUESTÕES FORAM TEMA DA PALESTRA DO PRESIDENTE DA AMP, HUMBERTO CORREA

19 de junho/2020————Os efeitos da pandemia sobre a saúde mental da humanidade, incluindo os profissionais de saúde, foi o tema do evento online “Saúde mental em tempos de pandemia”, realizado pela Associação Mineira de Psiquiatria, na noite de 16 de junho. A palestra-tema coube ao conceituado psiquiatra Humberto Correa, presidente da AMP.

O seminário contou com a presença dos presidentes: do Sinmed-MG, Fernando Mendonça; da Associação Médica de Minas Gerais, Maria Inês de Miranda;  e do Conselho Regional de Medicina/MG, Cláudia Navarro, com coordenação de Paulo José Ribeiro, especialista em Psiquiatria e em Psicoterapia.

Durante sua explanação, Maurício Correa lembrou que o mundo já viveu pandemias piores. A grande diferença é a velocidade com que elas se espalham hoje, devido à maior circulação entre pessoas de diferentes países e lugares.

Afirmou que o comportamento das pandemias obedece uma lógica, chamada de três ondas (períodos de crescimento e arrefecimento da pandemia), onde se concentram todos os esforços. A quarta onda, segundo ele, que pode ser traduzida pelos efeitos da pandemia e do isolamento social sobre a saúde mental das pessoas normalmente é negligenciada: “A quarta onda já começa no início de uma pandemia e se refere principalmente aos impactos psíquicos e burnout que acometem as populações que passam por esse momento de estresse”, explica.

Para ele, o tema é de grande relevância e já deveria estar sendo discutido por toda a sociedade. Os impactos sobre a humanidade vão desde consequências econômicas e sociais, até a dificuldade do ser humano, de natureza nômade, ter que  viver em isolamento, um esforço enorme que cobra seu preço.    

“Tudo isso leva a mais adoecimento mental, transtorno de ansiedade, estresse pró- traumático, aumento da dependência de álcool e outras substâncias e das taxas de suicídio”, avalia, ilustrando com pesquisas sobre o tema.

Ao finalizar, Maurício Correa lamentou que a pandemia tenha dificultado ainda mais o acesso aos tratamentos, com o fechamento de vários serviços, “quando deveria ser o contrário, destacando a importância do suporte à saúde mental da população como um todo e, principalmente, para aqueles que já sofrem de transtornos psíquicos, como a esquizofrenia

Presidente do sindicato destaca que a situação é ainda pior no Brasil

Em sua fala, o diretor-presidente do Sinmed-MG, afirmou que no Brasil a situação é agravada e ainda mais delicada com os fatores políticos, econômicos e sociais. Lembrou aos médicos  o canal de denúncias do sindicato, para envio de sugestões e denúncias. Segundo ele, muitos profissionais acabam relatando suas angústias e medos em relação a questões como equipamentos de proteção individual, e afastamento ou não do trabalho.  

“Cadê o nosso norte? A nossa bússola interna descompensou e a categoria vive várias situações de perdas emocionais e econômicas, sem saber responder quando isso vai terminar”, resume.

O diretor-presidente reforça a importância dos médicos se sentirem amparados pelas entidades nesse momento, seja nas negociações com os gestores, na busca de seus direitos  e várias outras situações novas que todos estão vivendo: “Este é um momento da gente  se unir. Essa não foi a primeira e nem será a última epidemia e temos que aprender com ela”.

Mendonça lembrou também o projeto “O médico além do trabalho; um movimento pelo seu bem-estar”. Lançado pelas três entidades – Sinmed-MG, AMMG e CRM-MG – em outubro do ano passado, a iniciativa já teve como motivação os dados sobre índices elevados de adoecimento mental entre os médicos, com quadros de depressão, ansiedade, alcoolismo, abuso de substâncias psicoativas, estresse e Síndrome de Burnout.

“Médico, cuide de sua saúde mental”: conheça esse projeto da AMP em parceria com o CRM-MG

Maurício Correa relatou a dificuldade dos profissionais em procurar ajuda, particularmente quando se trata de saúde mental: “Os estudos mostram que o médico se automedica muito mais do que busca apoio. Somos todos vulneráveis e todos precisamos de ajuda”. E deixa um recado: A saúde mental não pode esperar!

Informou que a AMP juntamente com o CRM-MG criou o projeto  “Médico, cuide de sua saúde mental” para atendimento psiquiátrico online e gratuito aos médicos mineiros que já se ressentem dos problemas emocionais oriundos do estresse causado pelo momento atual, sejam eles da linha de frente ou não.  

Para ter acesso ao serviço, entre no site do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais e preencha uma ficha-consulta . Clique aqui.