Envio de denuncia

Preencha o formulário abaixo para enviar sua denuncia.



...

Home Notícias Entrevista: Célio Frois, presidente d...

Entrevista: Célio Frois, presidente da Comissão de Saúde e Saneamento da Câmara Municipal de Belo Horizonte, reforça importância do sindicato na defesa da categoria e do SUS

Publicado em 17 de fevereiro/2021.

Com um amplo currículo no exercício da Medicina, Célio Frois enfrenta agora talvez o maior desafio de sua vida: seu primeiro mandato como vereador na Câmara Municipal de Belo Horizonte (2021 a 2024).

Eleito presidente da Comissão de Saúde e Saneamento e nomeado corregedor da CMBH, o vereador aceitou o convite da diretoria do Sinmed-MG para uma reunião, dia 26 de janeiro, quando falou de seus planos e reforçou a importância de estar próximo do sindicato, entidade, segundo ele, fundamental na defesa dos interesses da classe médica e dos princípios e diretrizes do SUS.
Pelo envolvimento com os problemas da categoria e da saúde, o sindicato vê com otimismo a presença do médico Célio Frois na presidência da Comissão de Saúde e Saneamento. Veja entrevista exclusiva, concedida pelo vereador ao Sindicato dos Médicos.

Crédito da foto: Thomas Santos

Hoje a Câmara conta com apenas dois vereadores médicos, o que o levou a buscar uma carreira política?

Sim, somos apenas dois médicos, eu e a vereadora Sônia Lansky, também da Comissão de Saúde e Saneamento. Mesmo antes de ser médico já tinha uma ligação no parlamento estadual, onde fui chefe de gabinete do saudoso colega médico dr. Jorge Hannas e tive uma participação importante na criação da Fundação Hemominas em 1989, hoje um dos maiores e melhores centros de referência em hematologia do Brasil.

Como o sr. enxerga o papel do Sindicato dos Médicos de Minas Gerais para a categoria?

Fundamental na defesa dos interesses da classe médica, na construção de políticas públicas de interesse social e coletivo, além de ser um instrumento de fiscalização e defesa do ato médico, dos direitos e garantias individuais em Saúde.
Entidade de extrema importância na defesa dos princípios e diretrizes do SUS, na adoção de políticas e ações de promoção, prevenção e atenção à Saúde.

Como o sr. pretende atuar em defesa da saúde e dos profissionais médicos?

Defesa intransigente de uma saúde pública de qualidade e pelo fortalecimento do SUS.
Criar um canal permanente de diálogo com toda a classe médica para discutirmos, não só a criação de políticas, mas também a valorização e a defesa do trabalho médico.

Quais o sr. considera as prioridades nesse sentido?

O avanço das organizações sociais de saúde é uma sinalização, não só do desmonte do Sistema Único de Saúde, mas também para a precarização dos vínculos empregatícios.
É uma pauta que nos preocupa muito.

Quais o sr. imagina serão as maiores dificuldades na aprovação de projetos de saúde entre seus pares?

A 19ª  legislatura trouxe uma melhoria no nível  e na qualidade dos debates dentro da casa. Dentro de todos os parlamentos temos pluralidade de opiniões, mas  estou otimista e acredito que teremos maior facilidade para discutirmos pautas importantes  e relevantes para a saúde de BH.

Estamos vivendo um momento único com a pandemia do Coronavírus. Como presidente da Comissão de Saúde de Saneamento como o sr. acha que a Comissão deve atuar em relação ao enfrentamento da pandemia?

A Comissão de Saúde terá uma participação de extrema importância no enfrentamento à COVID-19. As reuniões estarão abertas ao diálogo com as autoridades sanitárias da PBH, bem como todos os segmentos da sociedade, no sentido de realizar estudo conjunto, visando encontrar soluções passíveis no enfrentamento à pandemia. Facilitar o diálogo e fazer uma interlocução com o poder executivo será uma das ações da Comissão de Saúde.

Que lições o sr. acredita que a pandemia está trazendo para a gestão da saúde no município? De que maneira isso afeta o trabalho na Câmara?

A pandemia que estamos enfrentando trouxe consequências destrutivas, sentidas em toda a sociedade. Sofrimento físico, psicológico e material estão marcando nossas vidas. No setor público, as instituições e o SUS deram uma demonstração inequívoca do quão eficientes podemos ser. As universidades, política e economicamente muito agredidas pelos dirigentes, mostraram resultados impressionantes, apesar da precária situação que se encontram.

O que o sr. espera do Sinmed-MG em relação a uma parceria objetiva e construtiva para a melhoria do sistema de saúde no município?

Queremos contar com o Sinmed-MG no sentido de fazer com que as nossas aspirações tenham um caminho positivo dentro da Câmara Municipal.

Como o sr. pretende incentivar/ampliar o relacionamento  entre o sindicato e a Câmara dos Vereadores de Belo Horizonte? Qual a importância desse “intercâmbio”?

Queremos ser esse elo de ligação entre a sociedade civil organizada com o Poder Legislativo e abrir as portas para que as entidades médicas tenham em nosso mandato uma legítima representação na casa e, para isso, contaremos muito com o Sindicato dos Médicos em todas as ações ligadas à saúde. Trabalharemos no sentido de unir nossas forças com as entidades médicas, para que possamos tornar nossos movimentos harmoniosos e sinérgicos.

Breve currículo: Célio Frois é formado pela Faculdade de Ciências Médicas de MG; membro titular da Sociedade Brasileira de Cardiologia; atuou  no MG transplantes de 2006 a 2012; cardiologista no Ambulatório da Polícia Civil (2008 a 2014); membro do Corpo Clínico do Instituto de Hipertensão, da RedeCardio e da Rede Mater Dei; professor assistente de Semiologia cardiovascular na FES-BH.