Envio de denuncia

Preencha o formulário abaixo para enviar sua denuncia.



...

Home Notícias Sinmed-MG une forças às entidades méd...

Sinmed-MG une forças às entidades médicas e destaca papel essencial do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais

Publicado em 6 de abril/2021.

 “A força da atuação conjunta do Sindicato, CRM-MG e Associação Médica, é muito maior do que o trabalho isolado de cada uma” (presidente do CRMMG, Cibele Alves)

O Sindicato dos Médicos de Minas Gerais(Sinmed-MG) tem lutado incansavelmente para a garantia de vacinação de todos os médicos da saúde pública e suplementar.

Nessa caminhada, a atuação em conjunto com as entidades médicas tem sido essencial para mostrar a força que a categoria tem ao unir forças em torno de um objetivo comum: a saúde. E o Conselho Regional de Medicina(CRMMG) tem mostrado força e lutado conosco nessa batalha. Recentemente a presidente Cibele Alves de Carvalho deu seu depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que investiga os fura-filas da vacinação contra a COVID-19 no Estado.

Acompanhe aqui a entrevista do Sinmed-MG com a presidente do CRMMG, em que ela avalia a situação atual da vacinação para os médicos, fala da importância da união das entidades e da participação na CPI da Assembleia Legislativa.

 
O Sindicato dos Médicos tem acompanhado junto ao CRM-MG todas as iniciativas em defesa da vacinação dos médicos. Como a sra. vê essa situação atual?

Desde o início do calendário de imunização, em meados de janeiro, tanto o Sindicato dos Médicos como o CRM e a Associação Médica têm feito todos os esforços junto aos gestores estadual e municipal de Saúde na busca da vacinação de todos os médicos.  Apesar de termos conseguido, recentemente, a vacinação dos médicos acima de 60 anos que não estavam em ambiente hospitalar ou em instituições públicas, ainda temos um longo caminho pela frente.

A cada dia vemos novas faixas etárias da população e outros segmentos profissionais sendo contemplados. Então, as três entidades precisam, o tempo todo, continuar com os esforços para mostrar a importância da vacinação dos médicos de todos os níveis de complexidade da saúde, desde o mais primário até o terciário.

Muitas vezes o médico do consultório é quem atua na atenção primária, na atenção domiciliar, que faz o diagnóstico inicial do paciente com suspeita de coronavírus e continua o acompanhando.

Temos visto inúmeros pacientes com Covid que estão sendo acompanhados em seus domicílios, com atendimento diuturno de seus médicos assistentes. Lembro que é mais importante abordar e tratar o paciente no início da doença do que aguardar que ele complique e vá precisar de um leito de UTI, tão deficitário neste momento.  

Qual a posição do CRM-MG em relação à vacinação dos profissionais da saúde em MG? E na capital mineira?

Temos percebido que existe um desalinhamento no tempo de vacinação entre o interior de Minas e a capital, com algumas cidades já tendo vacinado praticamente todos os médicos e profissionais de saúde, como enfermeiros e fisioterapeutas. Enquanto o interior priorizou esse público, em Belo Horizonte a questão da priorização desses profissionais está ficando em um segundo plano. A resposta é sempre que faltam vacinas.


No dia 30 de março, o CRM-MG participou de uma reunião na Assembleia Legislativa para tratar da vacinação dos médicos. Como a sra. vê a postura dos parlamentares diante dessa situação?

O Conselho Regional de Medicina teve a oportunidade de se manifestar na CPI da Assembleia Legislativa em relação aos fura-filas da Secretaria Estadual de Saúde. A percepção foi que os deputados estão extremamente sensibilizados em relação as nossas demandas, e não a entendem como corporativismo. Pelo contrário, defendem que a vacinação dos médicos e outros profissionais de saúde é uma segurança, por sofrerem maior risco de adoecimento e também para a própria população. Sabemos que um grande percentual de pacientes é assintomático, podendo contaminar o médico que por sua vez pode transmitir para os seus pacientes.


Em sua opinião, quais são as medidas fundamentais para acelerar a vacinação em Minas Gerais?

Entendo que para acelerar a vacinação dos médicos em Minas, notadamente em Belo Horizonte, as entidades médicas – Sinmed-MG, CRM e Associação Médica de Minas Gerais – têm que pressionar o tempo todo os gestores e, também sensibilizar os nossos representantes na Câmara Municipal e Assembleia Legislativa. Não há como relaxar nessa forma de atuar até convencê-los de que a prioridade na vacinação dos médicos e dos profissionais da saúde é fundamental para o combate a pandemia. Recentemente, o CRM-MG fez a campanha “Vacina Já”, com grande divulgação nas nossas mídias, backbus, rádio e em televisão. As entidades não têm medido esforços para divulgar informações sobre a importância da vacinação.

O Sinmed-MG, AMMG e CRM-MG têm atuado juntos em muitas frentes em defesa do médico. Em sua opinião, qual a importância dessa parceria das entidades médicas?

A força da atuação conjunta do Sindicato, CRM-MG e Associação Médica, é muito maior do que o trabalho isolado de cada uma. Felizmente, aqui em Minas Gerais existe um alinhamento muito grande entre as três entidades, o que é motivo de comemoração e de fortalecimento da classe médica em relação as suas reivindicações. Juntos, nós podemos mais!